Seja bem-vindo, visitante

Olá, Visitante. Chegou aqui, vindo sei lá de onde, quiçá cansado de tantas caminhadas e descaminhos. Pois bem, sente-se, relaxe e leia algumas destas coisinhas, vai ver que fica melhor... Um abraço da Felipa

domingo, 15 de abril de 2012

Blogagem coletiva - Amor aos pedaços


Não vou falar muito sobre o desencanto (ou desencantamento) porque é um tema que me é muito doloroso.
Desencantei-me da vida muito cedo, pelos 14 anos, embora isso já se tivesse iniciado muito antes, na infância. Quando percebi certas realidades, por exemplo por que não vivia com a minha família, a vida tornou-se um desencanto total em relação ao futuro.
Aos 14 anos percebi que estava só na vida, sem ninguém que gostasse de mim, e que teria de lutar para conseguir simplesmente existir.
Acho que tive sucesso nesse plano, mas as mágoas ainda doem de vez em quando. As dores foram abafadas por acontecimentos felizes que fui vivendo ao longo da vida mas alguns complexos ainda permanecem.
Sou uma sobrevivente. Considero-me uma pessoa feliz, muito feliz, porque aprendi a viver com o que Deus me dá e n’Ele confio.


Antigamente houve uma menina
há muito tempo
e essa menina agora é uma lembrança
plangente de lamento.

Nasci a cantar
nasci a cantar
escondei-me a desgraça
não quero chorar.

Antigamente eu era uma menina
há demasiado tempo
e essa lembrança esconde-se entre lírios
de um jardim de tormento.

Nasci para rir
nasci para rir
quem dera a tristeza
não queira cá vir.

Antigamente tudo era sonho e sina
onde se escoava o tempo
e nunca como agora me surgia na lembrança
um só sonho, um só momento.

Nasci tão alegre
nasci tão alegre
deixai-me assim estar
que a vida é tão breve.

Antigamente houve uma menina
nascida de um lamento
lembrança fugidia, casto lírio
plangente e sem alento.

Nasci a sorrir
nasci a sorrir
meu sorriso é fado
que estou a cumprir.

Antigamente eu era uma menina
mas foi há tanto tempo
que perdi toda a lembrança e toda a mágoa
num sonho que hoje invento.

Nasci a cantar
nasci a cantar
as mágoas e penas
que estou a penar.

Felipa Monteverde


Esta é a minha participação na blogagem coletiva AMOR AOS PEDAÇOS.
Visite o blog da Rosélia e saiba mais.

14 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Felipa

"Tu és o orvalho que me beija"...
(Meliss)

Em pleno período pascal nos reencontramos para tecer o nosso Desencanto... entrelaçar partilhas de coração a coração...

Foi o primeiro relato que chorei... como te compreendo, menina!!!
Que bom vc não esperar nada de ninguém...
Vivendo feliz com Cristo pois Ele é o Amor maior que nos cobre de Ternura e Encantamento sempre... nunca irá nos desencantar... sei que acredita, piamente,nisso...
Com fé e esperança vc chega ao Amor... E vale a pena!!!

Obrigada por sua participação e nos vemos no próximo mês se Deus quiser!!!
Bjs de Paz e Esperança junto com o meu carinho fraterno

"Meu coração orvalhado
pleno de gratidão,
agradece a Deus"...
(Élys)

Emanuel disse...

Foi, sem dúvida, o texto mais difícil a escrever.
Difícil visitar nossas dores.
Mas, entretanto, despertamos com elas.

Minha contribuição:http://migre.me/8GBkK

Maria Luiza disse...

Felipa, que encanto seu desencanto. senti serenidade na mulher sofrida e que aceitou os seus desígnios na opçaõ por Deus!Também achei difícil! Grande abraço!

Mariazinha disse...

Felipa, muito lindo seu texto....beijos e boa semana

RUTE disse...

Olá Felipa.
Sei que é dificil revisitar dores antigas. Especialmente quando ainda sofremos com elas.
Porém, para transmutá-las de vez, precisamos voltar ao passado com olhos do presente. Em cada regresso, sua perspectiva estará diferente e aos poucos compreenderá o desencanto de outra forma.
Quem sabe até, um dia consiga olhar as dores de forma positiva.
Falo isso porque eu consegui.
Beijo além-mar.
Rute

Valéria disse...

Oi Felipa!
Estou passeando pelos blogs da BC e me deparo com seu sofrido depoimento e muito me identifico com ele, até na linda poesia, palavra a palavra. Também me desencantei logo cedo quando descobri que era adotada e venho tentando superar isso dia após dia.
Linda sua participação!
Beijinhos!

Sandra Portugal disse...

Felipa sempre um desencanto é um aprendizado, apesar de dificil escrever a respeito, você conseguiu partilhar de forma muito bela.
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

Suu Munizz disse...

Tocante este teu post Felipa,
Muitas coisas na vida não passam com o tempo,mas a alegria de viver nos ajuda a superar e ir além.
Abraço querida e uma linda semana,=)

elvira carvalho disse...

Gostei da postagem. De uma Mulher que cresceu e amadureceu no sofrimento e isso deu-lhe uma força e serenidade que não são muito comuns nesta vida de correrias.
Um abraço e uma boa semana

Ailime disse...

Olá Felipa boa tarde,
Em dia de chuva nesta Primavera cinzenta revi-me neste seu texto e poema que calou fundo no meu coração.
O sofrimento da infãncia vai repercurtir-se por toda a vida.
Aceitar, perdoar e amadurecer!
É assim a nossa vida e Deus ajuda-nos!
Confiemos sempre!
Um abraço e continuação de uma boa semana.
Ailime

Lina disse...

Olá, Felipa!O seu texto tocou meu coração, pois senti que o escreveu de coração aberto. Há coisas na vida que são difíceis de esquecer, mas que nos tornam mais fortes!
Sinto a maturidade serena em suas lindas palavras!
Beijinhos especiais

✿ chica disse...

Que linda tua participação, bem autêntica.

Gostei!!beijos,tudo de bom,chica

Cláudia disse...

Felipa, ainda bem que com a ajuda de Deus conseguiu superar todo esse sofrimento. É claro que ficam sempre marcas, mas quando conseguimos ficar em Paz, isso já é muito positivo.
Adoro a imagem de abertura do blog, é uma foto que também transmite muita Paz.
bjs

Luma Rosa disse...

Tudo que acontece na infância nos marca para o resto da vida! Trabalhar essa falta, essa lacuna que existe em você é grande demais e mesmo que o tempo passe amenizando, ela fica escondidinha e vez ou outra vem à tona. "Fica faltando um pedaço". Beijus,